COVID-19


⇒ Inscreva-se em nossa newsletter exclusiva para pacientes e cuidadores!

 

Informações Gerais sobre COVID-19 

A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, que apresenta um espectro clínico variando de infecções assintomáticas a quadros graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a maioria (cerca de 80%) dos pacientes com COVID-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas), e aproximadamente 20% dos casos detectados requer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório. Os principais sintomas são febre, tosse contínua, coriza, perda de olfato (anosmia), alteração de paladar (ageusia), dor de garganta e dificuldade para respirar. A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de: toque do aperto de mão contaminadas, gotículas de saliva, espirro, tosse, objetos ou superfícies contaminadas (celulares, mesas, talheres, maçanetas, teclados de computador etc). 

Como se proteger? 

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho, prédios e instalações comerciais, etc), quando utilizar transporte público ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado. 
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo. Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção com as mãos não higienizadas. Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado. 
  • Mantenha distância mínima de 1 (um) metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. 
  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outros objetos que são utilizados com frequência. 
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos. 
  • Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde e siga as recomendações do profissional de saúde. 
  • Durma bem e tenha uma alimentação saudável. 
  • Recomenda-se a utilização de máscaras em todos os ambientes. As máscaras de tecido (caseiras/artesanais), não são Equipamentos de Proteção Individual (EPI), mas podem funcionar como uma barreira física, em especial contra a saída de gotículas potencialmente contaminadas. 

COVID-19 e esclerose múltipla e neuromielite óptica 

Qualquer doença viral pode piorar transitoriamente os sintomas de esclerose múltipla e neuromielite óptica. Atualmente não existem evidências de que a infecção pelo coronavírus possa desencadear surtos. Pacientes com esclerose múltipla e neuromielite óptica, devem seguir as recomendações padrão de proteção para evitar a infecção pelo coronavírus. Muitos pacientes fazem uso de medicamentos que atuam no sistema imune (imunossupressores ou imunomoduladores), e de acordo com dados atuais, a maioria destes pacientes parecem não estar sobre risco maior de serem infectados pelo coronavírus ou de apresentarem um quadro mais grave. Mas os dados ainda são inconclusivos, sendo assim, estes pacientes devem seguir as mesmas recomendações de proteção listadas acima e ficarem atentos de forma a buscar atendimento médico em caso de ocorrência de sintomas, e não aguardar até que os sintomas piorem. 

Funcionamento do CIEM 

Durante a pandemia, ocorreram alterações no funcionamento do CIEM, conforme recomendações das autoridades de saúde de nosso estado e de nosso país. Os atendimentos presenciais foram suspensos no dia 18 de março. No entanto, os funcionários administrativos permaneceram no CIEM durante toda a pandemia, com secretária disponível por telefone para atendimento de dúvidas e esclarecimentos. Todos os pacientes que realizavam infusão de Natalizumabe no CIEM foram encaminhados para receber a medicação em clínicas credenciadas ao programa BIA ou em centros de infusão locais. A equipe médica permaneceu disponível por e-mail e para atender demandas que chegaram à secretária. 

Foram desenvolvidas também atividades de pesquisa e reuniões online semanais. Durante as reuniões da equipe do CIEM, foram discutidas questões administrativas, e foram desenvolvidos protocolos de atendimento, com objetivo de padronizar condutas e melhorar a assistência ao paciente. 

Os atendimentos presenciais retornaram no dia 17/08, apenas para consultas de retorno e conforme critérios de prioridade, como por exemplo descontrole da doença, necessidade de troca de medicamento, pacientes com necessidade de definição de tratamento, entre outros. O número de atendimentos encontra-se reduzido e com horário marcado, para que não haja risco de aglomerações, conforme recomendações. 

Em caso de dúvidas e necessidade de informações, entre em contato com o CIEM pelo telefone 31 33079994. 

 

Referências: 

1 - Apóstolos SLP et al. Management of central nervous system demyelinating diseases during the coronavirus disease 2019 pandemic: a practical approach Arq Neuropsiquiatr, 2020 

2 - Center for Disease Control and Prevention. What you should know about COVID-19 to protect yourself and others. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/downloads/2019-ncov-factsheet.pdf 

3 - Ministério da Saúde, Governo Federal. Coronavírus Brasil. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/